Crônica- O sonho da felicidade: você sabe como ser feliz?

“Você sabe como ser feliz?”

Quando uma pessoa nasce ela não recebe um manual que lhe ensine como ser feliz, mas aos poucos descobre que vai precisar aprender muita coisa sobre a felicidade.

Não tenho dúvida que todo ser humano merece ser feliz, mas diariamente sou forçado a acreditar que essa não é a meta de todos eles.
 
“Vocês são realmente fascinantes!”
 
Espero que você faça parte das pessoas que sabem que merecem a felicidade!
 
Na crônica logo abaixo eu relato parte de um sonho que tive, o qual usei como base para elaborar uma reflexão sobre a felicidade e seus “segredos”.
 
Boa leitura!
 
 
 

O sonho da felicidade: você sabe como ser feliz?

Meus olhos estavam fechados, parecia que eu estava dormindo e uma voz em minha cabeça repetia: “Você sabe como ser feliz?”
 
Quando abri os olhos, me deparei com uma manhã ensolarada invadindo meu quarto, daquelas que parecem exalar paz e alegria.
 
Caminhei até a porta que estava aberta, e vi as ruas cheias de pessoas e suas rotinas desimportantes, elas sorriam e se cumprimentavam com afeto.
 
Assim começou meu sonho, uma atmosfera envolvente que enchia meu peito de otimismo e me levou em um passeio onírico para explorar o que realmente significa ser feliz.
 
O sonho me disse que a felicidade, palavra tão buscada, desejada e silenciosa como um segredo, parecia estar à espreita, como quem quer chegar sem ser notado.
 
A força invisível do sonho que me pôs de pé na rua, me deu a missão de descobrir como a felicidade se manifesta nos corações e como convencê-la a habitar eternamente em nós.
 

O sorriso de Maria

De pronto, encontrei Maria, uma mulher idosa a quem poderia facilmente chamar de mãe.
 
Ela me recebeu sorrindo e me falou que sua felicidade brotava das pequenas coisas.
 
Maria se alegrava com um sorriso amigável, com um mero raio de sol que atravessava a janela, o cheiro da chuva antes ou depois de um longo período de seca.
 
Ela acreditava que a felicidade era uma escolha diária, era valorizar o presente e ser capaz de reconhecer a beleza nos detalhes mais simples da vida.
 
Maria me ensinou a ser feliz com pouco!
 
Nos despedimos com um abraço, sorrisos e saudade.
 

João, o artista das emoções

Continuei minha caminhada e cheguei até João, um jovem artista de rua que me revelou a maior felicidade que tinha: expressar sua criatividade através da arte!
 
O jovem parecia cantar enquanto me fazia entender que cada pincelada era uma explosão de emoções que o levavam a um estado sublime de gratidão e realização.
 
“Eu me conecto com as pessoas que param para admirar meu trabalho e faço o meu melhor para encher suas vidas apressadas com cores e alegria.”
 
João me ensinou que a felicidade pode ser encontrada quando nos expressamos com autenticidade.
 
Deixei João com suas pinturas e continuei…
 

Pedro, o voluntário da vida

Mais adiante, encontrei Pedro, um voluntário incansável e dedicado que doava seu tempo e energia para ajudar os socialmente menos favorecidos.
 
Enquanto fazia o que não era obrigação sua, Pedro me contou que sua felicidade era a sensação de fazer diferença positiva na vida de quem precisa de ajuda.
 
Ele parecia se alimentar do olhar de gratidão nos rostos daqueles que ajudava. Aquilo era seu maior tesouro!
 
Pedro me mostrou que eu poderia encontrar a felicidade no ato de estender a mão e, de alguma forma, melhorar a vida das pessoas.
 
No momento de nossa despedida, reparei que Pedro usava uma camisa com a pergunta: “Quando você fica feliz com a felicidade do outro?”
 
É… aquele jovem artista me ensinou que o amor ao próximo também nos traz felicidade.
 

Uma jornada contínua

Finalmente despertei do sonho e enquanto refletia sobre o que aprendi, imaginei a felicidade como uma mistura de experiências e emoções.
 
Eu a compreendi como um estado de espírito que pode ser alimentado com pequenos gestos de bondade, da busca por ser verdadeiro no que faz e da conexão com outras pessoas.
 
Desse modo, a felicidade não é um destino final, mas uma jornada contínua.
 
Por exemplo, o ato de compartilhar esse sonho faz parte da minha felicidade porque meu desejo é que todos também alcancem sua própria felicidade.
 
Ela é marota, gosta de se esconder em momentos singelos e genuínos, mas pode ser encontrada na realização de um sonho, na frase “eu te amo”, num abraço apertado…
 
Aconselho você, leitor (a), a fazer um pacto consigo mesmo e escolher cultivar a felicidade todos os dias, vivendo com empatia e gratidão.
 
Garanto que vai gostar de encontrar alegria e inspiração em tarefas corriqueiras e terá ainda mais prazer em compartilhar.
 
Enquanto constrói o caminho da felicidade, você encontrará conforto em saber que tem mais gente na mesma caminhada.
 
Você nasceu para ser feliz, então espalhe felicidade mundo afora, porque ainda existem inúmeras pessoas que precisam aprender a reconhecê-la.
 
}°{
/ \
Tahgoe
————————————————–
————————————————–
 
Não esqueça de deixar seu comentário ou sugestão!
 
 
Quer refletir mais sobre a felicidade e como ser feliz?
Livro sobre a felicidade e como ser feliz
 
Então leia o livro Felicidade: modos de usar, um bate papo entre três grandes pensadores brasileiros sobre como ser feliz.
 
Os textos são de Mario Sergio Cortella, Leandro Karnal e Luiz Felipe Pondé sobre o que é felicidade, seu significado, como ser mais felizes, etc.
 
Os autores citam outros filósofos e pensadores, usando exemplos pessoais para mostrar que é possível ser feliz, não o tempo todo, mas é.

Leia o Poema- Inverdade: mentira é pecado?

Deixe um comentário